19/08/2009

Histórias incríveis de Proctologistas envolvendo introdução de corpos estranhos.

Aparentemente a Proctologia seria uma especialidade como qualquer outra no ramo da medicina, mas antes fosse. Entre os próprios médicos há um glamour cercando as histórias contadas pelos proctologistas, tanto é que nos encontros entre médicos, as maiores e mais badaladas rodas se formam ao redor deles em razão dos seus relatos picantes.
Tecnicamente a definição da especialidade é árida e destituída de atrativos: “Médico especialista responsável pelo tratamento clínico ou cirúrgico das doenças do reto e ânus”. Até aí tudo bem, não fosse o ânus, objeto básico da Proctologia, um mítico orifício do corpo humano que meche muito com corações e mentes.
Então, porque os Proctologistas alcançam tanta popularidade entre os seus pares? Pelo tom hilário das histórias envolvidas, cujo enredo é bastante simples e esquemático: quase invariavelmente envolve indivíduos do sexo masculino que procuram os centros de urgência porque introduziram “acidentalmente” os mais diferentes corpos estranhos dentro dos seus retos.
O que mais chama atenção nestes pacientes é que uma mesma situação se repete ad nauseam: os relatos começam com “O Sr. não vai acreditar, é uma chance em um milhão de isto acontecer, mas aconteceu...”:

- escorregam em cima de frascos de Xampu e outros objetos enquanto tomam banho;

- alegam que brincavam no balanço, quando subitamente “escorregam” e dão com o ânus em uma planta de cactos. Logicamente, quando tentam retirá-la, os espinhos que haviam dobrado durante a introdução começaram a assumir posição verticalizada e... pernas para que te quero para o centro de pronto atendimento;

- um paciente que apareceu na emergência com um frasco de xampu enorme enfiado dentro do seu reto, não obstante a clássica explicação do "acidente", depois da retirada do frasco, fez questão de levá-lo de volta para casa.

As cenas descritas acima possuem um ingrediente recorrente; durante a introdução acidental do corpo estranho invariavelmente o paciente está nu e brincando nas mais diversas e comprometedoras circunstâncias.
Então, para quem acredita que a Proctologia é uma das piores profissões do mundo por lidar diretamente com o músculo esfinctérico regulador da saída das fezes, está redondamente enganado, pois são especialistas que gozam de reputação suprema nos congressos médicos por suas histórias pitorescas, não apenas pela diversidade dos objetos introduzidos, mas sim pelos incríveis álibis atenuadores alegados pelos pacientes.

Infelizmente as histórias aqui relatadas não me foram contadas por um proctologista e sim por uma amiga filha de médico, que no interior realizava procedimentos de múltiplas especialidades e de um Oftalmologista que vai regularmente a congressos médicos e engrossa as rodinhas que se formam em torno dos proctologistas.

Moral da história: o que acontece com os pacientes que realmente foram vítimas da chance em um milhão? Certamente eles são estigmatizados como todos os outros. Há um caso emblemático aqui na cidade de um motorista de caminhão que dirigia há anos atrás numa esburacada estrada do Nordeste brasileiro. Num sacolejo mais forte ele foi lançado ao ar e... caiu de ânus na palanca da mudança que lhe provocou uma tremenda laceração na região anal. O motivo alegado para a tragédia foi que ele estava usando um calção largo no momento, que foi insuficiente para deter a rombuda palanca. Até hoje muitas pessoas não acreditam na história, apesar do coitado nunca ter se recuperado completamente do acidente.

Referências:
Foto do sujeito pendurado no fio de quina para a lua. [Superatrativo]
Caso de um meliante que escondeu um celular no reto. [Comedia e Ciência]
Foto do “Proctologista”: personagem Charada da série televisiva Batman & Robin dos anos 60.

11 comentários:

  1. Hahahaha ...
    Melhores que as histórias são os álibis, sempre extremamente criativos.



    Ah, o personagem ali não é o Coringa, e sim, o Charada.

    ;)

    ResponderExcluir
  2. Guilherme, você foi mais rápido no gatilho do que eu! Quando me deu conta do erro, você já havia atirado.

    ResponderExcluir
  3. "escorregam em cima de frascos de xampu".

    Humm, seiiiii. Essas histórias mirabolantes são pra disfarçar. O sujeito gosta e se estimulou com o frasco de xampu.

    Eu não sei por que mentir, ainda mais pra um médico. Ele sabe que o ânus é uma região erógena tanto pro homem como pra mulher. A sociedade é hipócrita e faz ligação entre prazer anal com homossexualidade.

    ResponderExcluir
  4. agora eu sei quando dizem "tomar no toba"

    ResponderExcluir
  5. Lendo isso eu lembrei de um caso de um cara que numa festa a fantasia usava uma roupa de vagalume e pra fazer a luz anal do inseto colocou uma lanterna na entrada do furico. Lá pelas tantas da noite ele cansou e resolveu sentar, esquecendo da lanterna, no que ele sentou ela entrou até o talo huahuahuahuahuah

    ResponderExcluir
  6. meo isso eh do blog papo de homen e tipo ia ser legal ter creditos neah?

    ResponderExcluir
  7. Este artigo nada tem a ver com outro blog. A nossa política é conceder os créditos quando aproveitamos referências externas. Minhas fontes foram colocadas no texto, um médico oftalmologista e uma amiga filha de médico de interior.

    ResponderExcluir
  8. so homem uuuuuuuuuuuuuuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    ResponderExcluir
  9. Tem gente que enfia de tudo... até isqueiros, celulares, cenouras e outras verduras. Tubos de desodorante, perfume, o gancho do telefone, grampeadores, pincéis atômicos, lâmpadas, etc.
    Bem belo!!!

    ResponderExcluir
  10. Se eu fosse proctologista e retirasse objetos estranhos que entraram "acidentalmente" com toda certeza eu iria ver como o paciente está ou caso não fosse eu atendê-lo mandaria o seguinte recado "Vá para casa descanse. Amanhã procure ajuda de um psicólogo ou terapeuta porque isso não é coisa de uma pessoa normal. E outra, vá rezar uma oração forte para não voltar a ter essa idéia de querer ter prazer fora do comum sem ser a masturbação!"

    ResponderExcluir