22 de jan de 2009

A evolução do transporte ferroviário desde os futurísticos Trens a Jato da década de 70 à levitação magnética.

Em face da competição acirrada que a ferrovia travou contra as rodovias e as linhas aéreas, na década de 60 foi necessário fazer frente às crescentes demandas por velocidade e conforto. Urgia a revitalização do meio de transporte outrora hegemônico na primeira metade do século XX. Antes dos trens-bala, as pesquisas foram na direção do desenvolvimento de trens equipados com os mesmos motores a jato que equipavam os aviões.

Como você verá adiante, apesar do malogro de todas as tentativas, os avanços nas pesquisas foram imperiosos no desenvolvimento dos atuais trens de alta velocidade. Sabendo-se que a maioria dos trens-bala europeus foram projetados na década de 70, é lógico que hoje haja uma intensa pesquisa para a atualização deste meio de transporte, para que se torne uma alternativa viável diante do alto impacto ecológico causado pela aviação a jato.

Anos 50.
Concepção de monotrilho com trem a jato para a Disneylândia.
Concepção de Monotrilho a Jato da Disneylândia - Anos 50
Foto: Plan59.

1966.
Trem a Jato Americano M-497.
Trem a Jato Americano M-497

O M-497 foi testado com sucesso no verão de 1966. Era a época em que o uso das ferrovias já havia declinado na América, suplantadas pela competição maciça das supervias rodoviárias e as linhas aéreas. Então a empresa Central de Nova Iorque, liderada por Don Wetzel, desenvolveu o protótipo de um trem a jato que pudesse aliar os tradicionais confortos deste meio de transporte à alta velocidade dos seus competidores.

Apesar do sucesso nos testes, o uso de Trens a Jato para o transporte de passageiros nunca foi seriamente cogitado nos EUA. Além disto, mais tarde os projetos de trens-bala da França, Japão, Inglaterra e Alemanha adotaram motores convencionais a diesel e elétricos.
Com o fracasso, a equipe do M-497 mudou de direção e aplicou o conceito num limpador de neve para as estradas de ferro, que também não chegou a ser produzido comercialmente.

Maiores detalhes:
Dark Roasted Blend.
American Heritage.

1965.
Trem a jato francês Aérotrain Protótipo Nº 2.
Trem a Jato Francês Aérotrain Protótipo 2

A tentativa francesa para a construção de um trem a jato começou em 1965. No projeto foram desenvolvidos 5 protótipos: Nº1, Nº2, S-44, I-80 e I-80 HV. Para os testes destes protótipos foi construído um monotrilho entre Paris e Orleans com extensão de 130 Km.

Maiores detalhes: Zootropole.

1967.
Concepção Soviética de Trem a Jato.
Concepção de 1967 Trem a jato soviético

A raríssima imagem acima foi publicada na revista Soviética TM em 1967 e mostra o desenho de um trem a jato que comprova a preocupação dos Soviéticos em desenvolver uma resposta para o equacionamento do problema da alta velocidade sobre trilhos.

1969.
Aérotrain Francês I-80.
Trem a Jato Francês I-80

O Aérotrian I-80 tinha capacidade para 80 passageiros, pesava 24 toneladas e era equipado com 2 motores a hélice. No primeiro teste em 20/09/169 ele alcançou a velocidade de 250 Km/h. Em 5/3/1974 o I-80 recebeu motores a jato e quebrou o recorde mundial atingindo a velocidade de 430,2 Km/h.

O sonho tinha se tornado realidade, pois tinha se tornado possível trabalhar com velocidades de 200 Km/h para áreas urbanas e 400 Km/h em trechos rurais. Nove anos depois do início do projeto, o Aérotrain conseguia desenvolver a velocidade buscada para curtas e médias distâncias.

Infelizmente, o projeto nunca passou dos protótipos. Em 17/07/1991 o S-44 o último protótipo remanescente sofreu um incêndio criminoso.
Triste Fim do Trem a Jato Francês S-44

Maiores detalhes: S&P.


1970.
SVL – Locomotiva avançada de alta velocidade.
Trem a Jato Russo SLV - 1970

O protótipo de trem a jato SLV foi desenvolvido na fábrica de trens da cidade de Kalininsky em 1970. Usava as mesmas turbinas do jato de passageiros Yak-40.
Turbina do avião Yak-40

Como consequência do abandono do projeto SLV na década de 70, o protótipo permanece abandonado até hoje na área da extinta fábrica de Kalininsky. As fotos a seguir ilustram como a ferrugem foi tomando conta da sucata ao longo dos anos.
Em 1985:
Trem a Jato Russo SLV - 1985

Em 1993 Foto 1.
Trem a Jato Russo SLV - 1993 Foto1

Em 1993 Foto 2.
Trem a Jato Russo SLV - 1993 Foto2

Maiores Detalhes: English Russia.

Os Trens a Jato de ontem, hoje são trens voadores de levitação magnética – MLX01-90.
Trem Japonês a Levitação Magnética MLX01-90

O tempo de colocar turbinas em cima dos trens acabou e hoje a moda é fazê-los levitar milímetros acima da linha férrea, para alcançar velocidades inimagináveis no sistema convencional, que perde muita energia no atrito resultante da fricção entre as rodas e os trilhos. Com este tipo de tecnologia, os cientistas esperam romper a barreira dos 600 Km/h no transporte de passageiros, o que daria uma nova vida ao transporte ferroviário de longa distância. Um golpe destes ameaçará ainda mais a declinante aviação a jato.

Maiores detalhes: Telstar Logistics.

2 comentários:

  1. MANO VALEU AJUDO MT NUM TRABALHO DE HIST MEU, ME SALVOU

    ResponderExcluir